wrapper

Um Protocolo Sem Fio Rápido Está Chegando a Muitos Dispositivos
A tecnologia sem fio mais de 10 vezes mais rápida do que o melhor Wi-Fi que existe está chegando ao mercado em 2015.

Neste ano, devem aparecer smartphones, tablets e PCs que pode enviar e receber dados sem fio em ua velocidade mais de 10 vezes mais rápido do que uma conexão Wi-Fi normal. Além da transferência de vídeos e outros arquivos grandes rapidamente, essa tecnologia poderia acabar com os cabos utilizados para conectar PCs a monitores ou projetores.

A tecnologia sem fio que permitirá isso é conhecida como 60-gigahertz – em homenagem à frequência de rádio que utiliza e pelo nome "WiGig". Gigantes da Informática, como Apple, Microsoft e Sony têm silenciosamente colaborado com o novo padrão há anos e diversos produtos com WiGig já estão disponíveis. Mas a tecnologia vai ter um grande impulso este ano, à medida que várias empresas trazem produtos com WiGig para o mercado.

WiGig transporta dados muito mais rapidamente do que Wi-Fi, porque o sinal de rádio em frequência mais elevada pode ser utilizado para codificar mais informação. A velocidade máxima de um canal sem fio usando o protocolo 60 gigahertz atual é de sete gigabits por segundo (em perfeitas condições). Em comparação aos 433 megabits por segundo possíveis através de um único canal utilizando o protocolo Wi-Fi mais avançado existente hoje, que transmite a cinco megahertz. A maioria das redes Wi-Fi utiliza tecnologia menos avançada que é ainda mais lenta.

Qualcomm, líder na fabricação de processadores de dispositivos móveis e chips sem fio, investiu fortemente na WiGig. Na International Consumer Electronics Show em Las Vegas este mês, a empresa demonstrou um roteador sem fio para uso doméstico ou empresarial com a tecnologia embutida. Esse dispositivo estará à venda até o final de 2015.

Qualcomm também projetou o último de sua linha de processadores móveis Snapdragon para dar suporte WiGig. Os "modelos de referência" que a Qualcomm mostra aos clientes incluem seus chips sem fio de 60 gigahertz e os primeiros dispositivos com o processador Snapdragon 810 devem chegar ao mercado em meados de 2015. Na CES, Qualcomm mostrou tablets construídos com esse processador usando o WiGig para transferir vídeo.

Mark Grodzinsky, diretor de gerenciamento de produtos da Qualcomm, diz que a tecnologia WiGig deve ser muito mais confiável do que a Wi-Fi. Além de reduzir o trafego fornecendo uma nova banda de ondas para uso, WiGig sofre menos interferência porque é direcional. Considerando que os dispositivos Wi-Fi enviem seu sinal em todas as direções, os WiGig usam uma matriz de dezenas de minúsculas antenas para apontar um feixe em direção ao dispositivo a que está se conectando.

"Você não está sujando o ar ao seu redor", diz Grodzinsky. "Você poderia ter um monte deles no mesmo quarto e eles não iriam interferir um com o outro".

Quem trabalha na tecnologia WiGig prevê que a demanda por vídeo de alta definição vai tornar a tecnologia necessária. Os mais recentes smartphones agora gravar vídeo em altíssima resolução. Grodzinsky diz que a WiGig começará a aparecer em receptores de TV, tornando mais fácil a transmissão de conteúdo de dispositivos móveis para TVs de alta definição, ou seu envio pela Internet. Qualcomm calcula que com sua tecnologia WiGig será possível transferir um filme em HD completo em apenas três minutos.

Os sinais de 60 gigahertz também têm algumas desvantagens em relação ao Wi-Fi. Eles são bloqueados por paredes, tetos e pisos (embora possam ser captados depois de saltar dessas obstruções). Isto significa que geralmente só podem ser utilizados entre dispositivos que estejam no mesmo ambiente.

Além da Qualcomm, a Intel está preparando sua própria tecnologia WiGig, e a empresa disse em sua conferência anual de desenvolvedores no meio do ano passado que os chips WiGig iriam aparecer em laptops em 2015. Em seguida, demonstrações e na CES deste mês, a Intel apresentou um laptop usando WiGig para se conectar com monitores e outros dispositivos periféricos.

Samsung também espera lançar produtos WiGig este ano. A empresa anunciou no final de 2014 que tinha desenvolvido sua própria implementação e disse que espera comercializá-la em 2015. A tecnologia irá aparecer em dispositivos móveis da Samsung, como os de cuidados com a saúde e eletrodomésticos inteligentes.

A tecnologia poderia, um dia, ser usada para ampliar a capacidade das redes de celular. No ano passado, pesquisadores liderados por Heather Zheng, da Universidade da Califórnia, em Santa Barbara, mostraram que a frequência pode fornecer conexões de alta velocidade a distâncias de 100 metros ou mais ao ar livre. "Eu acho que há um potencial real em certas implantações como um cruzamento movimentado ou um shopping center", diz Ben Zhao, professor da UCSB que trabalhou no projeto.

Zhao prevê que a tecnologia de 60 gigahertz vai encontrar outros usos à medida que se torna mais barata. Ele e Zheng trabalharam com o Google para testar a tecnologia como uma forma de substituir alguns cabos dentro dos grandes centros de dados. Eles descobriram também que um dispositivo de 60 gigahertz pode utilizar sua viga como um sinal de radar para detectar a posição e tamanho de objetos próximos.

A tecnologia também deve ficar mais rápida. "Dezenas de gigabits por segundo vão certamente aparecer dentro dos próximos dois anos", diz Grodzinsky da Qualcomm. "Eu acho que a especificação provavelmente passará dos 100".

 

Fonte: MIT / TOM SIMONITE TRADUÇÃO ELISA MATTE (OPINNO)

Comente usando sua conta de redes sociais, yahoo ou hotmail

Comentários | Compartilhamento | Redes Sociais

Possa lhe interessar

  • Prev

Sobre

O nosso projeto prima por colher e fornecer conteúdos oriundos de nosso bairro e adjacências de forma cooperada em mídias digitais.

Integrar comércio, serviços, distribuidores, consumidores, etc., de forma simples com fácil acesso aos usuários, dedicando e mantendo à confiança e credibilidade.