wrapper

Queimaduras, desidratação, micoses, intoxicação alimentar, dengue e aumento da pressão arterial são alguns dos males

Na estação mais quente do ano a principal orientação dos especialistas é o uso do filtro solar diariamente. O que muitos desconhecem é que só proteger a pele não basta. Considerada por muitos a época mais gostosa do ano, o verão, para ser bem aproveitado, exige atenção especial à saúde. Entre as causas que mais levam pessoas às unidades de saúde nesta estação estão queimaduras, insolação, desidratação, micoses, intoxicação alimentar e dengue. São cuidados simples que podem garantir o bem-estar.

O excesso de exposição ao sol é a principal causa da desidratação, caracterizada pela perda excessiva de líquido, queimaduras, que podem causar lesões na pele que vão desde uma vermelhidão até a formação de bolhas, e insolação, que é o aumento excessivo da temperatura do corpo. Entre os cuidados que as pessoas precisam ter para evitar estes problemas estão ingerir bastante líquido, uso diário de filtro solar e evitar a exposição excessiva ao sol no período entre 10h e 16h. É importante lembrar que a exposição ao sol é um dos fatores de risco para que se desenvolva o câncer de pele.

Oswaldo de Araújo trabalhava como pesquisador nas ruas de Copacabana, no Rio de Janeiro, e após ficar horas exposto ao sol, sem usar filtro solar ou boné, teve queimaduras na pele e precisou buscar atendimento médico.

"Comecei a me sentir mal, com a respiração alterada e tive queimaduras no rosto, pescoço e braço. A médica me receitou um creme para a pele, repouso e ingestão de água. Aprendi que temos que ter cuidado com o sol",  disse Oswaldo.

Intoxicação alimentar - É comum durante o verão o registro nas unidades de saúde de aumento no número de casos de intoxicação alimentar. Isso acontece porque o calor faz com que os alimentos se deteriorem mais rapidamente. Por isso, é necessário estar atento para não deixar comida fora da geladeira. Outro cuidado é com o transporte de alimentos, que deve ser feito em bolsas térmicas com gelo.

Micoses - Casos de micose também são recorrentes nesta época. Isso porque o calor e a umidade da pele estimulam a proliferação de bactérias. Entre as áreas do corpo em que isso é mais comum estão virilha, dobra dos seios e dos pés. A medida para evitar a micose é manter essas regiões sempre bem secas.

"As pessoas precisam estar atentas à saúde durante o verão. Ingerir muita água, usar filtro solar, não deixar comida fora da geladeira e evitar focos do mosquito da dengue são algumas medidas básicas, mas importantes, principalmente, entre os idosos e as crianças, que são os que mais sofrem com doenças típicas desta época do ano",  explicou Alexandre Chieppe, superintendente de Vigilância Epidemiológica e Ambiental da Secretaria de Saúde.

Dengue – A junção da água parada com o calor é o cenário ideal para a proliferação do mosquito da dengue. Por isso, todos os anos há um aumento considerável no número de pessoas que adoecem após serem picadas pelo mosquito Aedes aegypti neste período. A principal medida que a população precisa adotar é evitar focos do mosquito presentes em copos plásticos com água, pneus, vasos de planta, piscina descoberta, entre outros. Mas, uma vez que a pessoa apresente sintomas como febre, dor no corpo e de cabeça, manchas vermelhas, dor atrás dos olhos, ela deve procurar imediatamente a unidade de saúde mais próxima da sua casa. O tratamento é feito por meio de hidratação e acompanhamento médico regular.

Pressão arterial - As temperaturas elevadas provocam variações dentro do corpo, principalmente quando se trata da pressão arterial. Desmaio, cansaço, vista embaçada podem ser sintomas de que algo está fora do normal. Segundo o diretor do Instituto Estadual de Cardiologia Aloysio de Castro, Antônio Ribeiro, no verão o corpo extremo e a umidade aumentam a perda de água e sais minerais através da transpiração e da respiração. Uma pessoa adulta pode evaporar mais do que dois litros de sua reserva de água em 24 horas.

"Quando essas perdas não são repostas corretamente, o corpo funciona com dificuldade. As artérias ficam dilatadas, o sangue tem mais espaço para circular exercendo pressão insuficiente nas paredes dos vasos para que o oxigênio e os nutrientes sejam fornecidos aos tecidos, o que chamamos de pressão baixa ou hipotensão", explica Ribeiro.

É por isso que os especialistas recomendam que as pessoas bebam, no mínimo, dois litros de água por dia. Além do calor, o uso inadequado de medicamentos e mudanças bruscas de posição também podem causar queda de pressão. Entre os sintomas estão irritabilidade, cansaço, dificuldade de concentração, dores de cabeça, vertigens e náuseas. O especialista dá a dica para saber o que fazer nesse caso.

Cardiopatas - No verão, cardiopatas que tomam medicamentos para pressão alta muitas vezes têm de passar por uma reavaliação médica para alterar a dosagem dos remédios. Como a tendência natural do corpo é de baixar a pressão no calor, o uso de remédios vasodilatadores podem acentuar ainda mais essa queda, causando uma hipotensão.

 

Fonte: Ascom SES

Comente usando sua conta de redes sociais, yahoo ou hotmail

Comentários | Compartilhamento | Redes Sociais

Possa lhe interessar

  • Prev

Sobre

O nosso projeto prima por colher e fornecer conteúdos oriundos de nosso bairro e adjacências de forma cooperada em mídias digitais.

Integrar comércio, serviços, distribuidores, consumidores, etc., de forma simples com fácil acesso aos usuários, dedicando e mantendo à confiança e credibilidade.